Follow by Email

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

A EXPRESSÃO DA ALMA

Com lábios hesitantes e som mutilado 
Luto e me empenho para o que certo seria 
A música deste ente dizer noite e dia 
Com sonho e pensamento e sentimento atados, 

E interno responder aos sensos circunscritos 
Com oitavas de mística íntima e de astral 
Que sai com esplendor a caminho do infinito 
Dos ângulos sombrios do solo sensual. 

Canção da alma porfio a fim de a sustentar 
Através dos portais do senso almo e total, 
E inteira moldo a mim no interior do ar. 

No entanto se isso eu fiz - tal próprio trovejar 
Destroça sua nuvem, eis morte carnal
Diante do feroz apocalipse da alma.

        Elizabeth Browning

Nenhum comentário:

Postar um comentário